Mesmo sem ter concluído a construção da nova sede o aeroclube retoma a formação de pilotos profissionais

Depois de seis anos desativado, o curso prático de piloto de avião do Aeroclube de Pernambuco irá voltar às atividades. Foram investidos R$1,5 milhão na aquisição de três aeronaves e um simulador de voo, que serão utilizados nos cursos de piloto aerodesportivo (amador); piloto privado e piloto comercial. As aulas devem começar no início do próximo ano, no aeródromo Coroa do Avião, em Igarassu, a 48 km do Recife, enquanto a nova pista do Aeroclube de Pernambuco, que está sendo construída no Janga, em Paulista, não fica pronta. Desde maio deste ano, o aeroclube tinha dado início aos cursos teóricos de pilotagem de avião e helicóptero. No próximo ano, a formação teórica também será oferecida na versão EAD (ensino à distância).

Segundo Américo Amorim, conselheiro do Aeroclube de Pernambuco, a decisão em investir nas aeronaves, mesmo sem o aeroclube ter ainda sua sede própria, partiu pelo momento atual de procura pelos cursos. “Com a retomada da economia, cresceu a procura no mercado por mais pilotos profissionais. Ou a gente esperava ter a nossa pista, que deve ficar pronta em três anos, ou começávamos agora. A aviação está começando a responder a essa melhora econômica então resolvemos aproveitar o momento”, diz Américo adiantando que a frota do aeroclube era muito antiga e precisava ser renovada.

As três aeronaves são dos modelos Fox Vector V6, Cessna 152 Aerobat e Cessna 172 RG, esta última permite ao aluno treinar manobras aéreas, como estol (perda de sustentação) e parafuso, simulando perda e retomada do comando da aeronaves. Esse tipo de habilidade em situação de risco é uma das exigências do curso de piloto profissional comercial. “Pernambuco terá o curso de prático de pilotagem mais moderno do Norte e Nordeste”, garante Américo.

AEROCLUBE

Para ter a licença de voo o investimento não é pequeno. O curso mais em conta, de piloto aerodesportivo, que permite a pilotagem de aeronaves tipo ultraleve, custa cerca de R$ 10 mil. O de piloto privado, que habilita a aviões de passageiros de pequeno porte, te o valor médio de R$ 20 mil. Já o curso mais caro, de piloto comercial, que permite o ingresso em companhias aéreas, sai por cerca de R$ 100 mil. “Parte da carga horária exigida em pilotagem pode ser feita no simulador de voo, o que reduz o preço dos cursos em torno de 20%. É possível também diluir as horas de voo em vários meses, ou anos, . Um piloto comercial precisa ter 150 horas de voo até poder passar pelo exame da Anac e obter a licença de piloto”, diz Américo.

Fonte: JC Online

 

Comentários

comentários