Categoria promete malhar Judas em protesto por dívida contraída na Páscoa de 2016

Os atores, técnicos e produtores das Paixões de Cristo de Pernambuco realizarão protesto na manhã desta quarta-feira (4), na Boa Vista, em frente à sede da Fundarpe. De acordo com o Movimento Teatral de Pernambuco, o governo do estado, a Secretaria de Cultura e a Fundarpe ainda não realizaram o pagamento referente às encenações da última Páscoa – em abril do ano passado. O edital do projeto Pernambuco das Paixões de 2016, divulgado em janeiro, prometeu destinar até R$ 340 mil para dez montagens cênicas.

De acordo com Pedro Dias, responsável pela Paixão de Cristo de Camaragibe, A Paixão dos Camarás, o atraso de mais de dez meses no pagamento configura “um descaso enorme do governo com a cultura pernambucana. É uma maldade”. Diógenes Lima, da Paixão de Cristo de Paulista, Morte e Vida Nazareno, afirmou que os movimentos teatrais de Pernambuco planejam levar “um Judas e algumas cruzes” para o protesto. “É uma falta de respeito. Daqui a pouco completamos um ano sem nenhuma atitude do governo”, disse.

Procurada pela reportagem do Viver, as assessorias de imprensa da Secult e da Fundarpe disseram que “os pagamentos não executados no exercício de 2016 estão em previsão de pagamento (PDs) e serão regularizados a partir da abertura do sistema da Secretaria da Fazenda”, e que os cachês ainda não foram pagos por conta “da falta de liberação dos recursos”. Além de Camaragibe e Paulista, os profissionais das Paixões de São Lourenço da Mata, Limoeiro, Bom Jardim, Recife, Amaraji, Sertânia e Floresta também seguem sem receber.

Fonte: DP

Comentários

comentários