Os militares da Força Nacional vão apoiar as ações de policiamento ostensivo, preservação da ordem pública e da segurança do cidadão e do patrimônio

Atuação da Força Nacional em Paulista confirmada pelo Diário Oficial

As portarias assinadas pelo ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, autorizando o apoio da Força Nacional de Segurança Pública ao Programa Nacional de Enfrentamento à Criminalidade Violenta (projeto Em Frente Brasil) nas ações de combate ao crime em algumas cidades do Brasil, entre elas Paulista, na Região Metropolitana do Recife (RMR), estão publicadas no Diário Oficial da União desta quinta-feira (22). Além de Paulista, Ananinduea (PA), São José dos Pinhais (PR), Goiânia (GO) e Cariacia (ES)também receberão a Força Nacional.

Por um período de 120 dias, a contar do dia 30 de agosto e podendo ser prorrogado, os militares da Força Nacional vão apoiar as ações de policiamento ostensivo, preservação da ordem pública e da segurança do cidadão e do patrimônio.

De acordo com a portaria, o contingente de militares a ser disponibilizado obedecerá ao planejamento definido pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública, cabendo aos estados e municípios dispor da infraestrutura necessária à Força Nacional.

Apoio
Segundo , o secretário nacional de Segurança Pública, o general Guilherme Teófilo, Pernambuco foi escolhido pelo apoio que o Governo Estadual, juntamente com o município de Paulista deram ao projeto. “O governador, o secretário de segurança e o prefeito apoiaram (o projeto) e estão dispostos a esse esforço que será traduzido na sensação de segurança que queremos implantar em todo o País”, explicou.

O secretário estadual de Defesa Social, Antônio de Pádua, salientou que o modelo aplicado no Estado e em Paulista, do Pacto Pela Vida, foi usado como parâmetro para o programa, por isso a escolha da cidade. “Paulista foi escolhida porque vem apresentando reduções expressivas nos crimes contra o patrimônio e contra a vida, em razão de trabalhos das forças estaduais”, afirmou. Segundo dados da Secretaria de Defesa Social (SDS), Paulista registrou 127 homicídios em 2018, 69 a menos em relação a 2017, o que representa uma queda de 43% nos índices.

Papel do Estado e do município
Pádua explicou que o Governo do Estado e o município de Paulista terão cada qual uma atividade específica nesse planejamento de segurança nacional. “O município com suas guardas municipais através da prevenção; o Governo do Estado através de suas forças de segurança fazendo o trabalho ostensivo, preventivo e investigativo; e o Governo Federal ajudando a coordenar e reforçando com recursos públicos todas essas atividades”, elucidou o secretário, embora o Governo Federal não tenha divulgado o valor do investimento para o Programa Nacional de Enfrentamento à Criminalidade Violenta.

Para o prefeito de Paulista, Júnior Matuto (PSB), ter a cidade como parte projeto-piloto será uma forma de consolidar a segurança no município. Ele frisou que o trabalho de segurança é maior que o enfrentamento direto à criminalidade. “Não adianta a gente ter a ação corretiva e não ter a preventiva, que é a de inclusão, pois sabemos que, na maioria das vezes, a violência está nos bolsões de pobreza onde as pessoas carecem de espaços de convivência, de infraestrutura e de tantas outras ações”, pontuou o gestor.

Fonte: JC Online

Comentários

comentários