Acordo eleva piso mínimo de R$ 800 para R$ 880 e cesta básica mensal para R$ 120

Os representantes dos Sindicatos dos Comerciários de Olinda (Secon) e do Sindicato dos Comerciários dos Municípios do Litoral Norte (Sindecom) – que responde pelas cidades de Paulista, Abreu e Lima, Igarassu, Itapissuma e Itamaracá – e a classe patronal – o Sindicato das Empresas do Litoral Norte do Estado de Pernambuco (Sindnorte) se reuniram, na tarde de da terça-feira (19), na sede da Superintendência Regional do Trabalho de Pernambuco (SRTPE), para discutir o novo reajuste da categoria. No encontro, foi batido o martelo para que os comerciários, vinculados aos dois sindicatos de trabalhadores, tenham um aumento que varia de 8% para quem ganha acima do piso e 10% para os que recebem o piso. O acordo eleva o piso mínimo de R$ 800 vai para R$ 880 e a cesta básica mensal, que teve um acréscimo de 33,34% e passará de R$ 90 para R$ 120. No total, os rendimentos chegam a R$ 1 mil mensais.

“O reajuste ficou dentro do que esperávamos. Será retroativo a março, mês da nossa data base e pago em três parcelas nos meses de setembro, outubro e novembro”, revelou o presidente do Sindecom, Fábio Porto.

De acordo com Porto, as negociações se estendiam desde março deste ano. “A princípio, pedíamos um reajuste de 20% para teremos uma boa margem de negociação. Os empresários queriam dar apenas 5,95%. Ameaçamos entrar em greve, reunimos a categoria três vezes e chegamos a uma situação confortável”, disse ele.

Mesmo com algumas concessões, que ficaram para a pauta de 2015, o presidente do Sindicato dos Comerciários de Olinda, Oziel Marcelino considerou as negociações um avanço para a categoria “Retroagimos em algumas questões sociais, mas no todo foi vantajoso. Deixamos par o ano que vem, as discussões sobre a criação de um seguro de vida, o aumento da licença-maternidade de 150 dias para 200 dias e um plano de saúde, que as empresas fariam em parceria com os funcionários. Os patrões estão entendendo o que queremos para os comerciários. Muito estão perdendo colaboradores para as lojas do Recife. Em janeiro, iniciamos as negociações da campanha salarial de 2015”, lembrou.

RECIFE

Os comerciários do Recife tiveram o mesmo índice de 10% nos vencimentos este mês e também receberão salários de R$ 880. Acordo beneficia cerca de 120 mil trabalhadores.

Fonte: FolhaPE