Estimativa mais recente mostra que estado tem 9,4 milhões de habitantes, sendo que 4,3 milhões deles vivem em seis cidades do Grande Recife e em quatro do interior.

As 10 cidades mais populosas de Pernambuco concentram 46,3% dos habitantes do estado. É o que mostra a estimativa mais recente do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), divulgado nesta quarta-feira (29). Ao todo, o estado tem 9.496.294 pessoas, que vivem em 184 cidades e no distrito de Fernando de Noronha.

Comparando a estimativa de 2018 com o Censo de 2010, quando o estado tinha 8.796.032 habitantes, é possível constatar um aumento de 453.262 no número de habitantes.

  • Os 10 municípios pernambucanos com maior população têm, juntos, 4.395.905 moradores
  • Seis das dez cidades mais populosas do estado estão na Região Metropolitana do Recife
  • As 15 cidades do Grande Recife concentram, juntas, 4.054.866 pessoas – o que representa 42,7% da população do estado

Da Região Metropolitana, as cidades que entram na lista de mais populosas são Recife, Jaboatão dos Guararapes, Olinda, Paulista, Cabo de Santo Agostinho e Camaragibe. Além delas, entre as dez mais estão Caruaru e Garanhuns (Agreste), Petrolina (Sertão), além de Vitória de Santo Antão (Zona da Mata).

Segundo o IBGE, o Recife conta com 1.637.834 habitantes, sendo a cidade mais populosa de Pernambuco e a 9ª entre as capitais brasileiras. Em comparação com outras capitais nordestinas, ela é a terceira, ficando atrás de Salvador e Fortaleza.

A população da capital pernambucana, por exemplo, representa 57,3% do número de habitantes de Salvador (BA), que tem 2857329 moradores.

No estado, só a capital tem mais de um milhão de moradores. A segunda maior população de Pernambuco é a de Jaboatão dos Guararapes, com 697.636 pessoas. Olinda está em terceiro, com 391.835 habitantes.

O quarto e quinto municípios mais bem colocados na lista são do interior: Caruaru tem 356.872 habitantes e Petrolina, 343.865.

Pequenas

As dez cidades com menor população em Pernambuco são do interior, exceto Fernando de Noronha. O arquipélago tem 3.021 habitantes e fica no último lugar da lista.

As nove cidades e Noronha somam 60.738 pessoas. Isso é equivalente a 3,7% da população do Recife e representa 0,64% da estadual.

No continente, Ingazeira, no Sertão, tem a menor população, com 4.554 pessoas. Itacuruba, com 4.869 pessoas, e Calumbi, com 5.753, na mesma região, fecham a lista de três cidades com menor número de habitantes.

No país

O levantamento do IBGE mostra que a população brasileira foi estimada em 208,5 milhões de habitantes.

Na comparação com 2001, quando havia pouco mais de 172,3 milhões de habitantes, a população brasileira cresceu 21%. A taxa de crescimento em relação a 2017, quando a população somava 207,6 milhões, foi de 0,82%.

As 27 capitais juntas abrigam 49,7 milhões de habitantes, o que representa 23,8% da população do país. Pouco mais da metade da população brasileira (57% ou 118,9 milhões de habitantes) vive em apenas 5,7% dos municípios (317), que são aqueles com mais de 100 mil habitantes.

O país tem 46 municípios com mais de 500 mil habitantes, que concentram 31,2% da população do país (64,9 milhões de habitantes). A maior parte dos municípios brasileiros (68,4%) possui até 20 mil habitantes e abriga apenas 15,4% da população do país (32,1 milhões de habitantes).

População da Região Metropolitana

  1. Recife – 1.637.834
  2. Jaboatão dos Guararapes – 697.636
  3. Olinda – 391.835
  4. Paulista – 329.117
  5. Cabo de Santo Agostinho – 205.112
  6. Camaragibe – 156.736
  7. Igarassu – 115.640
  8. São Lourenço da Mata – 112.362
  9. Abreu e Lima – 99.622
  10. Ipojuca – 94.709
  11. Goiana – 79.455
  12. Moreno – 62.263
  13. Itapissuma – 26.397
  14. Ilha de Itamaracá – 25.836
  15. Araçoiaba – 20.312
As dez menos populosas
  1. Fernando de Noronha – 3.021
  2. Ingazeira – 4.554
  3. Itacuruba – 4.869
  4. Calumbi – 5.753
  5. Solidão – 5.993
  6. Quixaba – 6.822
  7. Terezinha – 7.139
  8. Granito – 7.435
  9. Brejinho – 7.486
  10. Vertente do Lério – 7.666

Fonte: G1 Pernambuco

Comentários

comentários