Os gêmeos Saulo e Davi, que ficaram conhecidos por terem nascido ligados um ao outro pelo abdômen, vão completar um ano na próxima segunda-feira (12) e passam bem. A mãe dos bebês ex-siameses, Karine, 27 anos, enfrentou todas as limitações para lutar pela vida dos dois filhos, que superaram todas as estatísticas e sobreviveram à cirurgia de separação.

Os bebês foram separados no dia 17 de dezembro no Imip. Eles compartilhavam o fígado e o músculo do diafragma. Cada uma das criança ficou com metade do fígado e teve o diafragma e paredes abdominal e torácica reconstruídos. Foram necessário colocar quatro expansores para que a pele crescesse o suficiente para cobrir a barriga dos dois.

Karine e o esposo tinham outros dois filhos e contavam com uma renda financeira suficiente para arcar com todos os custos que viriam. Para conseguir fazer a cirurgia e tomar os devidos cuidados com os bebês, a família contou com a ajuda da sociedade, que além de doarem o suficiente para os expansores – cada um custa R$ 10 mil -, também enviaram fraldas. Até o governo ajudou, dando um novo lar para a família.

Fonte: TV Jornal