O prefeito de Paulista, Júnior Matuto (Foto: Sérgio Bernardo/Acervo JC Imagem)

Sem citar nomes, o prefeito de Paulista, Júnior Matuto (PSB), afirmou que “não deixa de ter um questionamento” no PSB pela relação da sua gestão com o governo Jair Bolsonaro (sem partido).

Paulista foi um dos cinco municípios escolhidos pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública no país para receber agentes da Força Nacional, no início do projeto Em Frente Brasil.

“Principalmente nesse momento de complexidade, o povo quer ser curado na ponta e não importa de onde venha o médico ou o remédio”, rebateu Junior Matuto nesta terça-feira (14), em entrevista à Rádio Jornal.

O partido do prefeito faz oposição a Bolsonaro e tem criticado a gestão federal e apontado que há falta de articulação com os estados do Nordeste.

‘Manhoso’

Junior Matuto, no entanto, saiu em defesa do governador Paulo Câmara (PSB) quando o prefeito de Jaboatão dos Guararapes, Anderson Ferreira (PL) criticou o socialista. 

“Queria eu que tivesse esse aporte do Governo de Pernambuco [comparado à relação com o governo federal]”, disse Anderson Ferreira.

“Isso é manhoso, visse, Geraldo [Freire] (sic)”, reagiu Junior Matuto.

Mil maravilhas

Junior Matuto, que está no último ano do segundo mandato e não pode mais tentar a reeleição, admitiu que “Paulista não está mil maravilhas”. “Até porque o prefeito hoje é aquele pai de família que sai de casa para comprar pão para sete meninos e quando volta tem 15. Alguém vai ficar com fome”, justificou.

O prefeito reclamou da oposição em Paulista e acusou os adversários políticos de não apresentarem propostas.

O socialista afirmou que vai se comparar com “pessoas que já tiveram oportunidade de fazer alguma coisa”, em referência ao ex-prefeito Yves Ribeiro, que deve ser candidato este ano, fora do PSB.

Fonte: Blog de Jamildo