Governadora em exercício elogiou a dedicação da equipe e se comprometeu com a renovação de equipamentos para a unidade de saúde

Luciana Santos visita Hospital da Mirueira

Atendendo a um convite do Movimento de Reintegração das Pessoas Atingidas pela Hanseníase (Morhan), de Pernambuco, a governadora em exercício Luciana Santos visitou, na manhã desta quinta-feira (21), o Hospital Geral da Mirueira, no Paulista. Também conhecida como Sanatório Padre Antônio Manuel, a instituição é referência estadual no atendimento aos pacientes de hanseníase e vítimas de alcoolismo, além do tratamento de patologias de contágio, como tuberculose e H1N1.

Acompanhada do secretário estadual de Saúde, André Longo, e do diretor da unidade, José Carlos Rosa, Luciana visitou o ambulatório, a enfermaria e o setor de fisioterapia do equipamento de saúde, que ocupa uma área de 11,2 hectares. “Salta aos olhos a dedicação com que a equipe trabalha aqui no hospital. Atenderemos o pedido pela renovação dos equipamentos de diagnóstico de imagens e buscaremos melhorar a unidade de fisioterapia. Identificamos que há mais de 60 pacientes fazendo fisioterapia e faremos o que estiver ao nosso alcance para ajudar ainda mais, e contribuir com esse trabalho exemplar que é feito pela comunidade hospitalar, com o apoio da sociedade civil”, comentou.

O secretário André Longo reforçou que o Estado vem avançando na detecção e no tratamento da hanseníase, e também na diminuição do abandono ao tratamento. Ele lembrou ainda da importância do Programa Sanar, que trabalha doenças negligenciadas – aquelas causadas por agentes infecciosos ou parasitas e consideradas endêmicas em populações de baixa renda – como a hanseníase, objetivando realizar ações para capacitar profissionais de saúde e diminuir os casos. “Precisamos envolver os vários atores da sociedade, como as secretarias municipais e organizações da sociedade civil, para tratar da educação em saúde em todos os âmbitos da nossa sociedade. Temos que evidenciar o tema para que possamos tratar os doentes e evitar novos adoecimentos”, disse Longo.

O Frei Roberto Soares, que atua no Hospital da Mirueira desde a década de 1980, falou sobre o papel da sociedade civil na diminuição dos indicadores do Estado e reforçou a importância de debater o tema permanentemente com a sociedade, para que seja possível diminuir o número de casos, que chegaram a 2,2 mil em 2018.

Atualmente, a equipe do Hospital da Mirueira é formada por cerca de 300 funcionários, entre servidores concursados, terceirizados e pacientes egressos – aqueles que concluíram seus tratamentos no serviço e foram contratados. Existem mais de 130 leitos na unidade, para tratamento da hanseníase e atendimento a dependentes químicos. Nos ambulatórios, há atendimentos em diversas especialidades, como clínica médica, psicologia, odontologia, psiquiatria, nutrição e fisioterapia. No complexo, funcionam vários setores de assistência à saúde, como área de diagnóstico e exames laboratoriais e de imagem. Por mês, são realizados, em média, 5,7 mil atendimentos ambulatoriais, além de 130 internações.

Também participaram da visita os secretários executivos de Atenção à Saúde, Cristina Mota, Vigilância em Saúde, Luciana Albuquerque, e de Administração e Finanças, Adelino Neto; a diretora geral de Assistência Regional, Carol Lemos; o coordenador da Sociedade Brasileira de Dermatologia e Movimentos Sociais (Morhan) em Pernambuco, Randal Medeiros; além de funcionários do Hospital.

Programa – O Sanar tem como objetivo reduzir ou eliminar, enquanto problema de saúde pública, as seguintes doenças transmissíveis negligenciadas: tuberculose, hanseníase, esquistossomose, doença de Chagas, leishmaniose, filariose, geo-helmintíases, tracoma e sífilis. A estratégia definida pelo Programa Sanar considerou o planejamento estratégico da Secretaria Estadual de Saúde e o fortalecimento da capacidade de resposta das Regionais e municípios. Dessa forma, as ações são abordadas de forma transversal, priorizando a integração com a gestão municipal e buscando concentrar esforços na atenção primária e na oferta do tratamento integral e oportuno.

Fonte: FolhaPE