Igreja de Santa Isabel Rainha de Portugal
Localizada na Praça Agamenon Magalhães s/n – Fone: (081) 433.0982 – Centro – Paulista (PE).
Data de 1946. Construída pela tradicional Família Lundgren em homenagem a Elizabeth Lundgren, Matriarca da família.

Capela de Santo Antônio de Paratibe
Localizada nos Jardins do Seminário de Jardim Paulista.
Construída por Gonçalo Mendes de Leitão e sagrada por D. Pedro Leitão ( 1559)
Estilo Colonial, reconstruída em 1731 pelo Segundo Bispo do Brasil
Rua 80 s/n – Jardim Paulista

Igreja de Nossa Senhora dos Prazeres ( Ruínas)
Localizada no alto de uma colina, na área do Parque Ecológico do Janga.
Data de 1656. Construída por João Fernandes Vieira, junto à sua residência, em alvenaria de pedra. Incendiada nas primeiras décadas de 60 ficando em estado de ruínas, até os tempos de hoje.
Foi a Primeira Paróquia da Cidade do Paulista.

Igreja de Nossa Senhora da Conceição dos Médicos – Capela do Janga
Localizada na Praia do Janga às margens da PE – 01 a 100m do mar.
Data do Séc. XIX, não se tem informação da data exata de sua construção, sabe-se apenas que em 1812 ela já existia.
Estilo Colonial.

Igreja Nossa Senhora do Ó
Data de 1811;
No pátio fronteiriço, existe um conjunto de pequenas casas que serviam de hospedaria para romeiros daquela época. Ao lado da Igreja, existe um cemitério.
Estilo Colonial.
Av. Cláudio Gueiros Leite, n.¼ 7073, Praia de Nossa Senhora do Ó.

Igreja Nossa Senhora da Conceição
Data de 1842. Construída em pedra de cantaria.
Em frente a igreja, existe um adro com um Cruzeiro em pedra de cantaria.
Estilo Colonial
Rua João Sérgio de Farias s/n, Praia da Conceição.

Igreja de São João da Barra Mansa
Localizada na rua Afonso Pena – Maria Farinha, em frente ao Canal de Santa Cruz/ Rio Timbó. Data de 1888.
Construída por nativos da Praia de Maria Farinha.

Forte do Pau Amarelo (Fortaleza de N. Sra dos Prazeres)
Localizado na praia de Pau Amarelo na beira mar. Data do Séc. XIII.
Sua construção que foi projetada por um português, teve início em 1719 e tudo indica que em 1866 já estava concluído. Construído em pedra de cantaria, para defender a barra da praia do mesmo nome.

Parque do Janga
Parque do Janga é uma das maiores reservas florestais do Estado. Os seus 654 hectares já foram declarados de Utilidade Pública. O local é convidativo aos admiradores do turismo ecológico. A sua área compõe-se de:
Mata Atlântica; Manguezais; Colinas e Várzeas.
Uma das principais atrações do Parque é a Igreja de Nossa Senhora dos Prazeres de Maranguape, construída em 1656 e que está em ruínas. O templo foi erguido em agradecimento à expulsão dos holandeses. Existem, ainda, vestígios da existência, no Séc. XVII de um convento de freiras, uma casa paroquial e um cemitério no local. A Secretaria de Planejamento e Urbanismo do Município aguarda recursos do Fundo Brasileiro para Biodiversidade ( FUNBIO) da Fundação Getúlio Vargas, para desenvolver o projeto de revitalização do parque. Será recuperada toda extensão de Mata Atlântica e dragados rios e lagos.
Está prevista, também, a implantação de programas de regeneração natural e urbanização.

Rio Timbó
O passeio de barco ou de catamarã no Rio Timbó, é uma das atrações de lazer ecológico em Paulista. É possível contemplar a beleza dos mangues e conhecer um pouco da história da cidade.
As ruínas de um antigo terminal portuário ( Porto Arthur) e o encontro do rio com o mar ficam marcados na memória das pessoas que visitam o local. Em uma das suas margens está a praia de Maria Farinha (Paulista) e na outra a localidade de Nova Cruz em Igarassu. O passeio permite, ainda, a visualização de belas residências de veraneio e do cotidiano dos pescadores.

Centro Histórico Consolidado
Data do início do Século. Compõe a Malha Urbana do Centro Consolidado, formado pelas fábricas da Companhia de Tecidos Paulista ( Aurora e Arthur), as Vilas Operárias, o Casarão e Jardim dos Coronéis e a Igreja de Santa Isabel, estes dois últimos construídos em Estilo Europeu, de tijolo aparente.