Em entrevista à Rádio Jornal, prefeito de Paulista afirmou que recursos para conclusão da obra não foram repassados pelo Governo do Estado

Com a previsão inicial de conclusão para agosto do ano passado, a obra de duplicação da Ponte do Janga se arrasta e causa transtornos aos moradores. Em entrevista à Rádio Jornal na manhã desta quinta (7), o prefeito de Paulista, Junior Matuto (PSB), afirmou que faltam recursos para concluir a obra, que está 70% finalizada. Não há estimativa para quando a construção irá ser terminada.

“Estamos aguardando o Governo do Estado repassar. Eu entendo a situação que o país está passando e que o governo também, mas não tenho mais o que fazer, não tenho mais cara de conversar com a empresa”, explicou. De acordo com o gestor,  são necessários R$ 5 milhões para dar continuidade à obra e entregar a ponte. “Se tiver recursos, em 40 dias nós entregamos”, destacou.

Atrasos marcam andamento da obra

O alargamento da ponte faz parte de uma intervenção maior que prevê a requalificação de quatro quilômetros da Avenida Cláudio Gueiros Leite, a partir do limite com Olinda e seguindo até a entrada do Conjunto Beira-Mar, na altura da Estrada de Manepá. A obra é financiada com recursos do governo do Estado e executada pela Prefeitura de Paulista. Inicialmente, a obra deveria ter sido finalizada em agosto de 2017. Esse prazo depois foi transferido para setembro, depois dezembro e agora não há previsão.

Do convênio, firmado em setembro de 2015 no valor de R$ 17 milhões, até fevereiro deste ano, já foram repassados R$ 10,5 milhões. Na época, a gestão municipal alegou que os serviços estavam a passos lentos porque, desde agosto de 2017, não houve novos repasses por parte do Estado. 

Fonte: JC Online

Comentários

comentários