Jogador está de volta ao Estado para ser a grande atração do jogo Barça Legends x Pernambuco Legends

De volta ao Estado para ser uma das grandes estrelas do jogo Barça Legends x Pernambuco Legends, neste sábado (14), na Arena de Pernambuco, o pernambucano Rivaldo se viu obrigado a revisitar memórias do passado. Algumas não tão felizes assim. Craque de bola, campeão mundial e eleito o melhor jogador do mundo em 1999, o ex-meia relembrou, na manhã desta sexta-feira (13), das dificuldades enfrentadas no início de carreira, quando sonhava em ser ídolo do Santa Cruz. 

“Tinham muitas pessoas que acreditavam no Rivaldo, como muitas pessoas não acreditavam. O próprio Santa Cruz mesmo não acreditava. Eu fui cortado, mandado embora. Mandaram eu estudar que eu não servia para jogar bola. Isso foi triste para mim. Só eu sei o que eu passei aqui e as dificuldades que enfrentei em Pernambuco”, declarou.

Após o episódio a que se referiu o ex-jogador, ele acabou indo jogar no Paulistano, time da cidade de Paulista. Até que se destacou no Estadual e teve de retornar à equipe tricolor porque tinha vínculo com o clube. Antes, porém, Rivaldo revelou que guardou segredo do pai sobre a dispensa, por vergonha. 

“Ser mandado embora, cortado e, logo depois, meu pai morreu atropelado e não ficou sabendo. Eu fiquei com vergonha de dizer que eu tinha sido mandado embora pelo Santa Cruz. Ele morreu sem saber disso, porque ele tinha tanta confiança em mim, viu que eu poderia ser um profissional. Meu pai era meu único torcedor. Eu não podia falar isso para ele. Foi daí que eu fui jogar no Paulistano e fiz um bom campeonato e tive de jogar contra o Santa Cruz, fiz gol contra o Santa e tive de voltar para lá porque eu tinha assinado com eles. Foi daí que o clube começou a me ajudar”, relatou.

GRATIDÃO

Apesar do drama pessoal vivenciado pela dispensa, Rivaldo garante que não tem problemas com o clube e diz ser torcedor da Cobra Coral, assim como toda a família. “Sou grato ao Santa Cruz, sou Santa Cruz, torço pelo Santa Cruz, minha família também. É outra época e as pessoas que estavam naquele momento já não estão mais, mas foi difícil”, completou.

Fonte: JC Online

Comentários

comentários