Sindicato dos Rodoviários repudia revista da Força Nacional em Paulista

O Sindicato dos Rodoviários do Recife e Região Metropolitana emitiu uma nota de repúdio à abordagem de cobrador e motorista pela Força Nacional, em Paulista, ocorrida na tarde de sexta-feira (30). Desde esse dia, equipes nacionais circulam pelo município. A presença faz parte do programa Em Frente Brasil, do Governo Federal, que visa reprimir a criminalidade através da unificação de forças de segurança pública. De acordo com o sindicato, a revista expôs os funcionários a “situações humilhantes e constrangedoras”.

Os funcionários revistados fazem parte da empresa Cidade Alta, que controla linhas de ônibus da área Norte da Região Metropolitana. Para o sindicato, foi “um fato lamentável ocorrido com a categoria, que já é vítima da violência urbana” e os diretores da entidade “já estão tomando as devidas providências, junto à Secretaria de Defesa Social”.

“O assédio ou coação moral pode ser definido como a exposição dos trabalhadores e trabalhadoras a situações humilhantes e constrangedoras, repetitivas e prolongadas no exercício de suas funções. Desde já, estamos à disposição de qualquer um trabalhador que se sinta constrangido, ou coagido, diante desse tipo de abordagem”, acrescenta o sindicato.

Na mesma nota, a instituição desmente o boato de paralisação dos Terminais Integrados de Abreu e Lima, Pelópidas Silveira e PE-15: “Não se trata de uma deliberação do Sindicato dos Rodoviários”.

Força Nacional
Implantado em Paulista, Ananindeua (PA), Cariacica (ES), Goiânia (GO) e São José dos Pinhais (PR), o programa Em Frente Brasil busca unir agentes de segurança pública, como a Força Nacional e as polícias (Federal, Rodoviária Federal, Civil e Militar) em ações estratégicas, principalmente contra homicídios. Essas ações podem ser, por exemplo, patrulhamento de rua, investigação, inteligência ou perícia criminal.

Dos 405 profissionais de segurança empregados na operação, 80 são da Força Nacional Ostensiva, especificamente para trabalhar nas ruas, durante 120 dias. A cidade pernambucana foi repartida em quatro áreas estratégicas, com ações direcionadas aos locais com maiores índices de criminalidade. Nos primeiros dias, o foco será nos bairros de Maranguape I e II, Janga e Engenho Maranguape, além das margens da BR-101. Não há um número determinado de policiais ou viaturas envolvidas em cada ação – a quantidade é definida de forma dinâmica, de acordo com a necessidade.

Fonte: DP

Comentários

comentários