Frase de Mendonça Filho resumiu o pensamento dos quatro pré-candidatos oposicionistas

Oposição manteve o discurso afinado de lamentação pelos rumos que as prévias do PT tomaram, ressaltando que quem saiu perdendo no final foi a população recifense.
Oposição manteve o discurso afinado de lamentação pelos rumos que as prévias do PT tomaram, ressaltando que quem saiu perdendo no final foi a população recifense.

A oposição do Recife “comemorou” a realização das prévias dentro do PT. Originalmente pensada como uma arma democrática – por ter a indicação do candidato pelos militantes e não pelos caciques -, a estratégia no Recife desandou. E pior, transformou-se numa verdadeira munição para o discurso e guia eleitoral dos oposicionistas. Ontem, após o resultado das prévias petistas, a linha de raciocínio dos quatro pré-candidatos à prefeitura, Daniel Coelho (PSDB), Mendonça Filho (DEM), Raul Henry (PMDB) e Raul Jungmann (PPS), foi uníssona. Todos classificaram os fatos ocorridos durante a eleição interna petista como o “retrato da briga interna” da legenda.

“Ficou evidente hoje (ontem) o que a própria máquina criou. Formou-se um curral eleitoral na estrutura da prefeitura. E isso ficou mais do que provado com o resultado final destas prévias”, comentou Daniel Coelho.

Segundo o tucano, independentemente do resultado das prévias de ontem, o PT, por estar no poder, permanece como o favorito às eleições de outubro. “O PT continua favorito, até porque é que tem a máquina nas mãos. Mas essas contradições que ficaram ainda mais evidentes durante as prévias do PT vão ter que ser aprofundadas nos debates daqui para frente. É importante que eles expliquem”, disse Coelho.

As palavras do tucano foram endossadas pelo pré-candidato Mendonça Filho. “As prévias foram o retrato do PT. Uma briga interna impressionante, que rachou o PT pela metade”, disse o democrata, lamentando que a briga interna não foi pela melhoria da gestão da cidade. “Enquanto isso, praticamente durante dois meses, a cidade ficou em posição secundária, relegada diante dessa briga política. Quem fica no prejuízo é a população. Mas com certeza haverá desdobramentos eleitorais. O PT não merece continuar no poder”, afirmou o democrata.

Já para o ex-deputado Raul Jungmann, a prévia do PT se “desvirtuou” das funções democráticas, inaugurando uma enorme crise dentro do partido. O pré-candidato do PPS ainda lamentou as denúncias de fraude. “Eles entraram em um impasse insolúvel. O que ocorreu hoje (ontem) foi um espetáculo da deseducação política e falta de civilidade, com denúncias de compra de voto e fraudes saídas de dentro do próprio partido. No final, o grande vitorioso foi a oposição”, argumentou o pré-candidato do PPS.

O deputado federal Raul Henry (PMDB) também lamentou que a briga interna não foi pela melhoria da gestão na cidade. “O PT está produzindo um espetáculo lamentável de um luta interna pelo poder. Nenhum deles propôs melhorias para gestão ou para a cidade. O cidadão já percebeu isso”, disse Henry, caracterizando as prévias em uma frase. “Foi o coroamento de todo o processo autofágico de luta pelo poder”.

Fonte: Diario de Pernambuco (Assinante)