A Agência Estadual de Meio Ambiente (CPRH), a Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas) e a Superintendência do Patrimônio da União (SPU) realizaram ontem (11) uma audiência pública sobre o Plano de Gestão Integrada (PGI) da Orla Marítima de Paulista – Projeto Orla.

A audiência ocorreu no auditório do Senac Paulista, em parceria com a prefeitura da cidade, e teve como objetivo garantir a transparência e a inserção das demandas da sociedade por meio da consolidação das diretrizes do PGI, além de aprovar a composição do seu comitê gestor.

Participando da mesa de abertura do evento, o secretário executivo de Meio Ambiente e Sustentabilidade de Pernambuco, HélvioPolito, exaltou a participação (popular) no traçado do desenvolvimento como marca de uma boa gestão. “O gestor não apresenta uma obra pronta, simplesmente, mas a participação das pessoas no processo da obra”, afirmou. O secretáriolembrou ainda o empenho de todos em fazer com que a praia seja, de novo, propriedade do povo, apontando as obras que vêm sendo realizadas em algumas praias do estado.

O PGI foi construído de forma participativa em duas oficinas conduzidas pelo engenheiro agrônomo Leonardo Tinoco, instrutor do SPU, e trabalha, fundamentalmente, com as dimensões ambiental, socioeconômica e patrimonial, integrando ações da prefeitura, estado, União e sociedade civil de maneira complementar. Dentre os benefícios apresentados pelo superintendente do Patrimônio da União em Pernambuco, Paulo Roberto Ferrari, estão contenção do avanço do mar, ordenamento da ocupação da orla, ordenamento das marinas e piers do rio Timbó, preservação do patrimônio histórico e conservação do meio ambiente.

Fonte: CPRH-PE