A campanha para intensificar a vacinação contra sarampo em Pernambuco foi prorrogada até o dia 24 de agosto. É preciso imunizar crianças de 6 meses a 4 anos de idade, em 24 municípios pernambucanos. Os pais podem procurar um dos 700 postos de saúde de toda a Região Metropolitana do Recife (14 cidades), Zonas da Mata Norte (6 cidades) e Zona da Mata Sul (4 cidades) para levar seus filhos. Na campanha, será oferecida ao público infantil a tríplice viral, que também protege contra a rubéola e caxumba, e integra o calendário básico de vacinação. Mais de 390 mil doses foram disponibilizadas, numa parceria entre Estado, União e municípios. A expectativa é imunizar 260.159 crianças. Até agora, 46.868 crianças já estão protegidas contra a doença.

Na RMR, 603 postos de saúde irão realizar a vacinação nas cidades do Recife, Olinda, Paulista, Abreu e Lima, Igarassu, Camaragibe, Jaboatão dos Guararapes, Cabo de Santo Agostinho, Ipojuca, Moreno, São Lourenço da Mata, Ilha de Itamaracá, Itapissuma e Araçoiaba. Na Mata Norte, serão 85 postos nas cidades de Goiana, Condado, Carpina, Glória de Goitá, Chã de Alegria e Paudalho. Já na Mata Sul, a campanha será realizada em 57 unidades básicas de saúde, nas cidades de Vitória de Santo Antão, Primavera, Chã Grande e Pombos.

A orientação aos pais, residentes nesses municípios prioritários, é que levem suas crianças, de acordo com a faixa etária a ser imunizada – dos 6 meses aos 4 anos de idade – ao posto de saúde da cidade para receberem a dose da vacina tríplice viral. É importante que os responsáveis apresentem os cartões para serem atualizados. “Serão vacinadas também as crianças de 6 meses, que pela vacinação de rotina é ministrada apenas quando completam 12 meses de vida. No entanto, é relevante informar que essas mesmas crianças terão que tomar a vacina novamente quando completarem um ano, seguindo o calendário normal de imunização”, explica a coordenadora do Programa Estadual de Imunização (PNI-PE) da SES, Adriana Baltar.

Para os responsáveis que não residem nos municípios prioritários, a recomendação é que também se mobilizem e procurem os postos de saúde da cidade onde moram para avaliação do cartão de vacinação da criança. O novo calendário do Ministério da Saúde, implantado no início de 2013, define que a segunda dose da vacina deve ser aplicada aos 15 meses de vida. No formato anterior, era ministrada entre os quatro e seis anos de idade. “Os pais devem estar atentos, pois apenas nos postos prioritários, dessas 24 cidades pernambucanas, é que a vacinação será feita a partir dos seis meses. Nos outros municípios, a aplicação da vacina continua a obedecer a faixa etária habitual”, pontua Baltar.

Dados

A mobilização quer ampliar a cobertura vacinal e reduzir o risco de transmissão do sarampo em Pernambuco. De janeiro a junho deste ano, o Estado notificou 155 casos da doença, dos quais 62 (40%) foram confirmados, 40 (25,8%) descartados e 53 (34,2%) em investigação. Outros estados, como São Paulo, Minas Gerais, Santa Catarina e Paraíba também confirmaram casos da doença viral. Dos municípios convocados e que apresentaram casos confirmados da doença, Recife é o que registra maior ocorrência, com 13 casos, seguido de Paulista (9), Vitória de Santo Antão (8), Cabo de Santo Agostinho (8), Goiana (6), Olinda (5), Abreu e Lima (3), Jaboatão dos Guararapes (2), Camaragibe (2), Santa Cruz do Capibaribe (1), Primavera (1), Pombos (1), Condado (1) e Carpina (2).

“Os casos confirmados em Pernambuco apresentaram o vírus do sarampo do genótipo D8, um tipo viral que está circulando em países como Inglaterra, Estados Unidos, Canadá e China, locais que ainda apresentam uma elevada incidência da doença. A entrada de estrangeiros no país e no Estado, com os todos esses eventos, possibilita que haja transmissão nos territórios, por isso, a medida de intensificar a vacinação no público infantil, que tem sido a faixa etária mais acometida”, avalia a diretora geral de Vigilância Epidemiológica e Ambiental da SES, Roselene Hans.

Desde as primeiras notificações pelas secretarias municipais, a Secretaria Estadual de Saúde adotou diferentes medidas de controle e investigação epidemiológica, em apoio aos municípios, sobre os casos da doença. Foram realizados bloqueios da transmissão, por meio de vacinas aplicadas em pessoas que tiveram contato com as crianças e que estavam com o calendário vacinal atrasado. O quadro clínico da doença tem se apresentado de forma leve e todas as crianças acometidas pelo sarampo foram tratadas e apresentaram rápida cura, sem complicações médicas.

Histórico

Em 2000, o Brasil registrou os últimos casos autóctones (transmissão ocorrida dentro do território nacional) de sarampo. Desde então, devido às altas coberturas vacinais e elevada sensibilidade da vigilância epidemiológica apenas casos importados ou secundários a estes foram detectados no país o que é esperado por conta da ocorrência de surtos em outros continentes como África e Europa. Em 2012, após receber a Certificação de Eliminação do Sarampo, foram confirmados dois casos importados, um residente em Pernambuco com histórico de viagem a Europa e o outro em São Paulo, com histórico de viagem a Flórida/EUA.

A doença

O sarampo é uma doença infecciosa aguda, causada por vírus, cuja transmissão ocorre de pessoa a pessoa, por meio de secreções respiratórias, como gotículas expelidas ao tossir, falar ou respirar. O período de incubação é, geralmente, de 10 dias, desde a data da exposição até o aparecimento da febre, e cerca de 14 dias até o início do exantema (erupção cutânea).

Sintomas

Caracteriza-se por febre alta, acima de 38,5°C, exantema generalizado, tosse, coriza, conjuntivite e manchas de Koplik (pequenos pontos brancos que aparecem na mucosa bucal, antecedendo ao exantema). A gravidade da doença varia segundo as condições socioeconômicas, apresentando evolução severa em populações carentes, desnutridos, pacientes vivendo em moradias superpopulosas, imunodeprimidos ou com tratamento de imunossupressão. As complicações mais comuns são pneumonia, otite, doenças diarreicas e neurológicas. Acomete principalmente crianças, com até cinco anos de vida.

Prevenção

A principal forma de prevenção do sarampo é a vacinação, por meio da vacina tríplice viral, disponível nos postos de saúde durante todo o ano.

Fonte: Governo de PE