Diferentemente de tapa-buracos feitos todo ano, obras vão restaurar pavimento nos 30,7 km da rodovia no Grande Recife

Começou na terça-feira (19) a requalifica­ção do contorno urbano da BR­-101, a primeira desde 1975, quando a rodovia foi implantada no Grande Recife. Diferentemente das operações tapa-buraco feitas todo ano para acabar com as cra­­teras abertas no inverno, essa obra tem como promessa restaurar todo o pavimento nos 30,7 quilôme­­tros situados entre Paulista e Jaboa­­tão dos Guararapes, viabilizando uma BR totalmente nova. É a chance de redenção de uma estrada on­­de, dois meses atrás, devido à dete­­­rioração do asfalto, caminhões chegavam a levar três horas para fazer um trajeto normalmente feito em 40 minutos. O serviço, estimado em R$ 190 milhões, é fruto de um convê­­nio do Departamento Estadual de Estradas de Rodagem (DER), que lici­­tou sua execução, com o Departa­­mento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit). A previsão é de que tudo fique pronto em 2019. 

Nos dois anos, as intervenções ocorrerão por etapas, 16 ao todo, com quatro quilômetros, cada uma. A que foi iniciada fica em Pau­­lista, entre os km 55,6, na altura da Disbec Distribuidora, em Jardim Paulista, e 51,6, na primeira alça de aces­­­so para a PE-15, perto de Abreu e Lima (ver arte). A pista no sentido Recife-Paulista foi interditada em todo esse trecho. Por conta disso, o tráfego está sendo desviado pa­­ra a pista oposta, que virou mão e contramão. No início da noite de on­­tem, o trânsito estava ainda mais complicado que nos demais dias. 

Motoristas e passageiros de ônibus vão precisar de paciência. As viagens tendem a ficar mais demo­­radas. Como agora só há uma faixa por sentido, baias foram criadas nos acostamentos e canteiros para permitir que os coletivos parem pa­­ra embarque e desembarque de usuários sem reter o trânsito. Os desvios estão sinalizados com cones. “A BR já vinha sofrendo com a buraqueira faz tempo. Todo ano era a mesma coisa. Essa obra é bem-vinda”, avaliou o estudante Dou­­glas Brito, 19 anos, enquanto espe­­rava um ônibus às margens da BR-101.

No trecho já interditado, está prevista a construção de quatro acessos para facilitar o fluxo de veículos em bairros da região: dois em Jardim Paulista, Paulista, e dois em Caetés, Abreu e Lima. Serão restauradas as alças de acesso ao Centro de Observação e Triagem Professor Everardo Luna (Cotel), vias marginais, alças viárias e o acesso à Estrada do Sítio do Picapau Amarelo. Já o pavimento da rodovia receberá um reforço nas camadas asfálticas e de suporte e melhorias na estrutura de drenagem. “Para quem usa essa BR para tudo, como eu, que moro em Jardim Paulista, era algo esperado há muito tempo. Vai haver alguns transtornos agora, mas, depois, com certeza, vai ficar muito melhor”, opinou o também estudante Lucas Rocha, 19.

Segundo o Dnit, quando avançar para as demais etapas, a obra também deve contemplar a restauração de um trecho da avenida Recife, perto da sede da Justiça Federal. Apesar de os desvios já terem sido feitos na região de Paulista, o serviço deve ser lançado oficialmente pelo Governo do Estado juntamente com o Ministério dos Transportes em solenidade prevista para sexta-feira.

Fonte: FolhaPE