O balanço do 1º semestre deste ano do Tribunal de Contas do Estado (TCE) traz um dado preocupante sbre o tratatamento do lixo.
Dos 184 municípíos pernambucanos, apenas 33 possuem Plano de Gestação Integrada de Resíduos Sólidos.
O plano é exigido pela Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), que determinou agosto de 2012 como limite para as prefeituras terem o documento.
Sem ele, os municípios não podem receber recursos federais para implantar políticas voltadas para o tratamento e destinação do lixo.
Em resumo, 82,1% das cidades, que já reclamam da falta de recursos, terão mais uma dificuldade para elaborar programas como a coleta seletiva.
As prefeituras só não podem reclamar de falta de aviso. Afinal, a PNRS foi promulgada em agosto de 2010 pela Presidência da República.
Detalhe: a União é a maior financiadora do país de resíduos sólidos.

Fonte: Diario de Pernambuco