Uma fábrica clandestina de produtos de limpeza, em Jardim Paulista, no município de Paulista, foi fechada, na manhã desta segunda-feira, em uma ação conjunta da Polícia Rodoviária Federal e da Agência Pernambucana de Vigilância Sanitária (Apevisa). Há duas semanas, uma operação da PRF apreendeu uma carga de produtos sanitários na BR-232, em Moreno, sem documento fiscal. O material foi encaminhado à Apevisa, que foi até a fábrica com base no endereço divulgado nas embalagens. No entanto, no endereço foi constatado que a empresa não existia. E a investigação foi priorizada para se descobrir onde estava a fábrica clandestina.

O serviço de inteligência da Polícia Rodoviária apontou o local onde foram encontrados diversos equipamentos e produtos. Água sanitária, detergente, entre outros. Cinco funcionários foram detidos para prestar maiores esclarecimentos à polícia. Segundo a Apevisa, pelo fato da fábrica ser clandestina, não há um acompanhamento dos órgãos de fiscalização, que garantem o padrão de qualidade exigido para que os produtos possam ser utilizados pelos consumidores sem riscos à saúde. O fabrico e comercialização ilegal de produtos saneantes configura-se crime hediondo, considerando que, tal qual na questão de medicamentos para uso humano, o manuseio destes saneantes poderão provocar envenenamento da pessoa que tem contato com o produto.

Todo o material foi recolhido pela equipe da Apevisa. O proprietário não se encontrava na fábrica, mas foi identificado e será procurado para responder pelas irregularidades encontradas. A ocorrência foi encaminhada para a Delegacia de Defesa do Consumidor.

Fonte: Diario de Pernambuco