Sem alarde, o vereador do Recife, Maré Malta (PSD), renunciou, em janeiro último, ao direito de receber ao salário como vereador na Câmara do Recife para ganhar apenas os vencimentos como sargento da Polícia Federal (PF). O parlamentar acumulou as duas funções nos doze primeiros meses de Parlamento, em 2011, e, por isso, “ganhou dobrado” durante este período. Maré Malta assumiu a vaga na Casa de José Mariano no lugar do deputado Daniel Coelho (PSDB).

Maré conta que a decisão de abdicar à verba parlamentar – fato incomum no Parlamento brasileiro – foi de cunho pessoal. “Claro que essa decisão implica em sacrifício financeiro, ainda mais em um ano eleitoral. E não é porque vou trabalhar menos, ao contrário. Mas acredito que posso contribuir mais com os cofres públicos com esse gesto”, contou Maré Malta, ao Blog da Folha.

Com a decisão, Maré Malta encaminhou à Polícia Federal o pedido de afastamento temporário das funções como servidor público, optando pelo recebimento do vencimento. Em outro documento, o pessedista pede para abdicar do recebimento do salário pela Câmara do Recife. A decisão, segundo ele, é irrevogável.

Como parlamentar, o pessedista recebeu até janeiro último a “bagatela” de R$ 9.287,57. Apesar de não divulgar o valor, Maré Malta confirmou que o salário da PF é maior que o da Câmara do Recife. O pessedista completa, este ano, 15 anos de corporação.

Maré Malta admitiu que os protestos estudantis contra o reajuste dos salários dos vereadores contribuíram para sua decisão. No apagar das luzes de 2011, os vereadores aprovaram, por unanimidade, o aumento para a categoria, subindo dos atuais R$ 9.287,57 para R$ 15.031,76, um crescimento de 62%, passando a valer na próxima Legislatura.

“Cada um faz o que pode, foi uma deliberação minha. Essa decisão gera uma economia em mais de R$ 100 mil só com salários, para o cofre da Câmara”, disse.

Fonte: Blog da Folha