Há seis meses os moradores esperam que a Compesa e a Prefeitura de Paulista decidam de quem é a responsabilidade.

Fonte: NETV – 1ª Edição