Na edição do dia 24 de janeiro, do Jornal do Commercio, no caderno de Política, saiu uma nota contra o prefeito de Paulista, Júnior Matuto (PSB), impetrada pelo PT de Paulista. A nota disse ainda que Ministério Público de Pernambuco (MPPE) apresentará, nos próximos dias, o parecer sobre uma possível irregularidade praticada pelo socialista na campanha de 2012, para obter o voto do eleitor. Entre as irregularidades, Júnior Matuto teria distribuído materiais de construção e realizado reuniões em órgão público.

Nena Cabral (PTB) em entrevista a Folha Metropolitana, no dia 27 de janeiro, para comentar as possíveis consequências políticas que já aconteceram e poderão ocorrer em várias cidades do Brasil, de gestores públicos serem punidos com a cassação do mandato. “Aqui, em Pernambuco, algumas cidades receberam intervenção com a cassação de prefeitos, como os de Petrolina, Primavera, Lagoa Grande, Brejo da Madre de Deus, São João, entre outras”, informou.

Para o ex-prefeito Nena Cabral, uma intervenção judicial pode ocorrer, em breve, em Paulista e em Abreu e Lima, também. “No caso de Paulista, Nena Cabral explica que, se a juíza decretar a sentença de cassação, mesmo o acusado tendo o direito de recorrer ao TRE E TSE, após os prazos transcorridos, haverá uma nova eleição na cidade”, explicou Nena Cabral. Este fato ocorre porque na cidade de Paulista o prefeito eleito obteve mais de 50 % dos votos válidos, na cidade de Abreu e Lima o prefeito eleito obteve menos de 50% dos votos.

Fonte: Folha Metropolitana