Pré-candidato do DEM à PCR defende a teoria do senador Jarbas Vasconcelos, de que dois nomes é o número bom para a oposição na disputa

Mendonça Filho (DEM)Mesmo cauteloso na hora de avaliar qual seria a melhor estratégia a ser adotada pela oposição na disputa pela Prefeitura do Recife, o deputado federal Mendonça Filho (DEM) reconheceu que o ideal para o grupo seria o lançamento de apenas duas candidaturas. No cenário atual, além da sua, estão colocadas as postulações de Raul Henry (PMDB), Daniel Coelho (PSDB) e Raul Jungmann (PPS). Em entrevista à Rádio Jornal, ele reconheceu a “legitimidade” de todas elas, mas fez coro à tese já defendida pelo senador Jarbas Vasconcelos (PMDB).

“Retirando os aspectos de ordem política, relativos à legitimidade de cada projeto, o ideal seria dois candidatos. Mas que critérios adotaríamos para reduzir esse número? Não é fácil. Vamos ver o fôlego que cada candidatura terá até as convenções, em junho”, assinalou. A indefinição do bloco, segundo ele, está relacionada também com as incertezas que pairam no lado governista, especialmente, dentro do PT.

Questionado sobre a possibilidade de o DEM vir a compor com o PSDB na chapa municipal, o prefeiturável ressaltou não haver discussões concretas sobre o tema, mas fez questão de enfatizar a “sintonia” entre seu partido e os tucanos no âmbito nacional. Mendonça também minimizou os efeitos negativos que a possível perda do tempo de televisão para o recém-criado PSD pode acarretar para sua candidatura no Recife. Nos bastidores, porém, há rumores de que a decisão do Tribunal Superior Eleitoral será crucial para o projeto do democrata.

Fonte: Jornal do Commercio