Quem precisa utilizar a PE-01, a Avenida Cláudio Gueiros Leite, no bairro do Janga em Paulista, na Região Metropolitana do Recife, enfrenta dificuldades diárias para sair de casa, principalmente no início da manhã. A via é estreita, corta os bairros de Maria Farinha, Pau Amarelo e Janga, e nela milhares de veículos circulam diariamente. Congestionamento e superlotação de coletivos são alguns dos transtornos enfrentados por condutores e passageiros do Sistema de Transporte Público de Passageiros.

Para fugir do congestionamento, motoristas utilizam o acostamento da PE-01 e desrespeitam leis de trânsito, pondo em risco principalmente a vida dos pedestres. A rodovia estadual é de responsabilidade do Departamento de Estradas e Rodagens (DER), mas desde a semana passada o órgão estadual concedeu à prefeitura do Paulista a autonomia para fiscalizar e ordenar o tráfego. A iniciativa abarca também as rodovias PE-15 e PE-22.

Para tentar sofrer menos com os efeitos dos congestionamentos diários na rodovia, os passageiros que passam pela Avenida Cláudio Gueiros Leite diariamente contam que precisam sair de casa com até duas horas de antecedência e nem sempre é suficiente. A dificuldade de fluidez no tráfego de veículos fica ainda pior no trecho localizado na Ponte do Janga, que liga o bairro a Olinda, onde se forma um verdadeiro “gargalo” de veículos tentando passar pela via estreita, os que vem na faixa correta e os que saem do acostamento.

O repórter Rafael Carneiro esteve no local, onde atua agora a fiscalização municipal no controle do tráfego, e traz mais informações sobre o problema, na reportagem a seguir:

A reportagem da Rádio Jornal entrevistou o secretário de mobilidade e transporte de Paulista, Almir Buonora, que explicou que o trabalho dos agentes da Secretaria de Mobilidade é de orientação e educação no trânsito e que os efeitos da fiscalização devem ser sentidos em até 30 dias. Entre as ações que estão sendo realizadas para tentar melhorar a fluidez do tráfego, estão as medidas de remover os semáforos de dois tempos ao longo da rodovia e a requalificação de algumas vias paralelas à PE-01, que podem ser usadas como rotas alternativas, mas o secretário destaca que é mesmo com o uso dessas vias é inevitável o afunilamento do tráfego na chegada à Ponte do Janga. Ouça a entrevista na reportagem a seguir:

Sobre uma possível duplicação da PE-01, o secretário explicou que existe uma conversa com o Ministério das Cidades sobre o tema, mas não há nenhuma previsão de obra efetiva nesse sentido.

Fonte: Rádio Jornal