A polícia ouviu o depoimento de mais uma vítima de assédio sexual cometido por um professor e condutor de transporte escolar, filmado se masturbando na frente de estudantes, numa Kombi, em Paulista, no Grande Recife. Uma adolescente de 14 anos diz que também foi vítima dele e por isso precisou deixar o colégio onde o acusado trabalha como professor de religião. Ele é casado com a diretora da escola, localizada na Mirueira.

A menina contou que os assédios e os atos obscenos aconteciam não só no transporte escolar, mas também dentro da sala de aula, com frequência. A adolescente conta que o professor se masturbava por trás do birô, em plena aula de religião. A estudante viu, várias vezes, o homem alisando as meninas e tentando pegar nos seios e pernas delas.

Ela começou a ser diretamente abordada quando tinha 12 anos e estava na terceira série, mas conseguiu evitar os assédios. A mãe dela diz que tirou a filha do colégio e não denunciou à polícia porque não tinha provas. A adolescente confirmou a informação de que várias estudantes já haviam relatado o caso à diretora, mas ela sempre dizia que era mentira dos alunos, já que o professor é marido dela.

 

Na última quarta-feira (30), uma menina de 15 anos também procurou o Departamento de Polícia da Criança e do Adolescente (DPCA) de Paulista para denunciar que também foi vítima do professor e motorista. A primeira denúncia contra ele foi feita na última terça (29), depois que uma das estudantes conseguiu filmar o condutor se masturbando dentro da Kombi onde transportava os alunos.

Fonte: TV Jornal