Segundo o líder municipal da sigla, não houve nenhum recurso da decisão

Enquanto as brigas internas do Partido dos Trabalhadores (PT) em Recife parecem ter dado um tempo, na cidade de Paulista, Região Metropolitana, as discussões estão a todo o vapor. Após determinação da executiva municipal de se declarar oposição na cidade, correligionários não acata decisão de desligamento com a prefeitura e presidente lança desafio.

No dia 26 de julho foi divulgado oficialmente uma determinação solicitando o desligamento dos petistas ao órgão municipal da cidade no prazo de 30 dias e definindo-os como oposição. Porém, em entrevista ao portal LeiaJá o secretário de Meio Ambiente, Fábio Barros (PT), disse nesta quarta-feira (31), que não obedecerá a determinação porque o caso foi passado para a executiva estadual.

Já o presidente municipal do PT em Paulista negou a interferência estadual da legenda e desafiou Barros. “Não cabe ao diretório estadual. Ninguém recorreu. Não conheço nenhum recurso. Quero que ele (Fábio Barros) me mostre”, provocou Nickson Monteiro (PT).

De acordo com Monteiro, o prazo vencido desde o dia 26 de julho seguirá para análise da Comissão de Ética do PT de Paulista. “Não há prazo determinado, mas eles vão avaliar e podem punir com a suspensão, afastamento ou até expulsão do partido”, explicou.

Fonte: Leia Já