Evento tem objetivo de oferecer mais equipamentos de diversão

O primeiro domingo (15) do Projeto Viva Paulista agradou as pessoas que foram brincar nas ruas da cidade. Com 13 vias do centro do município interditadas, a população pôde andar de bicicleta, jogar futebol, basquete e praticar outros esportes com segurança.

O evento, semelhante ao que já vem sendo desenvolvido no Recife há alguns meses, tem o objetivo de oferecer à população mais equipamentos de diversão. A prefeitura, segundo o secretário executivo de Esportes e Juventude, Alcides Leitão, estuda como será a periodicidade do Projeto.

Para Denys Silva, 33, que aproveitou o domingo para jogar basquete com os amigos na rua da cidade onde mora, a área deveria ser fechada para a prática de esportes todos os domingos. “Esperamos que façam isso todos os finais de semana. Gostamos muito da iniciativa”, disse.

O militar Francisco Tavares, 35, também gostou de poder levar o filho Leonardo Brahin Tavares, 10, para andar de bicicleta no centro histórico de Paulista. “Isso é bom para movimentar os municípios. Espero que outras cidades copiem esse projeto”, sugeriu.

De acordo com Alcides Leitão, o Viva Paulista tem dois objetivos: um é criar áreas de diversão para a população. O outro é fazer com que os cidadãos criem identidade com a cidade onde moram. “Para atingirmos nossa meta, precisamos da adesão das pessoas”, alertou o secretário executivo.

Para o projeto foram montados polos na Praça João Pessoa, no Jardim do Coronel e nas proximidades da Junta Militar. Nos três pontos foram instalados equipamentos para prática esportiva e também para apresentações culturais e artísticas.

Para a realização do evento, a Secretaria Municipal de Mobilidade e Transporte interditou 13 ruas do centro da cidade, sendo seis vias principais e sete secundárias. Por causa dessas interdições, o percurso de oito linhas de ônibus foi alterado. Devido à mudança, os veículos que trafegam pela rua Francisco Costa trafegaram e pela rua Getúlio Vargas, esta última teve o sentido invertido.

Fonte: FolhaPE