Eduardo espera que o PT recue em municípios estratégicos para o partido

SOCIALISTA deve conversar nesta semana com Lula, Humberto e Armando Neto
SOCIALISTA deve conversar nesta semana com Lula, Humberto e Armando Neto

O governador Eduardo Campos deverá conciliar a sua agenda administrativa desta semana com uma série de compromissos políticos. Segundo um graduado palaciano, o gestor deverá ter uma nova conversa com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) nos próximos dias – possivelmente, por telefone. Outros contatos previstos são com os senadores Humberto Costa (PT) – que recentemente foi confirmado como candidato do PT à sucessão no Recife – e Armando Monteiro Neto (PTB), além de outras lideranças da Frente Popular.

O socialista deverá dar um claro recado ao PT: exigir dos aliados a mesma reciprocidade que seu partido, do qual é presidente nacional, tem oferecido aos petistas na Capital pernambucana. Na prática, Campos busca um recuo do PT em municípios estratégicos para o PSB e para as demais siglas da Frente Popular. Um caso emblemático é o de Petrolina, on­de o PSB tem como candidato o deputado federal Fernando Filho (PSB), filho do ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra Coelho (PSB).

No município, o PT almeja lan­çar o deputado estadual Oda­cy Amorim, que no ano passado deixou o PSB por pressentir que não seria o candidato majoritário. Em recente entrevista à Rádio Folha FM 96,7, Odacy criticou as articulações que visam a retirada de sua candidatura. “É preciso respeitar a vontade do povo”, declarou, na ocasião. Outro município que pode entrar na pauta é Paulista, comandado pelo prefeito Yves Ribeiro (PSB), que lançou o vereador Júnior Matuto (PSB) como seu sucessor. No entanto, o deputado estadual Sér­gio Leite (PT) tem liderado as pesquisas e não tem planos de desistir – embora saiba que possa ser colocado no bo­lo das negociações pelo apoio no Recife. “Acho que não mexerão em Paulista. Tem uma diferença tão grande lá em intenções de voto que não cabe esse tipo de coisa. Podem discutir outras cidades, mas não tem pressão. Já tenho dez partidos comigo, e mais alguns para fechar. Venho de duas eleições (2004 e 2008), é uma candidatura natural”, avalia.

Ain­da nos planos do PSB, está Afogados da Ingazeira, onde o ex-gerente do Prorural, José Patriota (PSB), tentará suceder Totonho Valadares (PSB), disputando contra Jair da Bateria (PT). Situação similar à de Belém do São Francisco, que terá a disputa do prefeito Gustavo Caribé (PSB) contra o empresário Licínio Lustosa (PT). Já no Cabo de Santo Agostinho, Eduardo apoia o vice-prefeito Vado da Farmácia (PSB), enquanto o PT lançou o deputado federal Fernando Ferro. Por sua vez, a preferência de Campos em Serra Talhada é o deputado estadual Sebastião Oliveira (PR). Porém, o prefeito Carlos Evandro (PR) não abre mão do nome de seu vi­ce, Luciano Duque, recém-filiado ao PT.

Com esse recado, Eduardo deverá vender caro o apoio à candidatura de Humberto, a exemplo de como fez em São Paulo, em prol do ex-ministro Fernando Haddad (PT), apadrinhado de Lula. Em troca do apoio do PSB a um candidato que ainda não passou dos 3% nas pesquisas de intenção de voto, Lula desarticulou palanques petistas em vários locais no Brasil. Algo similar é esperado no Recife.

Fonte: FolhaPE