Equipes da Secretaria de Saúde do Paulista estão intensificando o cadastramento do público para inclusão no programa Remédio em Casa – que consiste na entrega de medicamentos em domicílio. Idosos e pessoas com dificuldade de locomoção devem procurar a unidade de saúde mais próxima de casa, quando houver condição de deslocamento, ou requisitar a visita em domicílio. A iniciativa contempla os pacientes que sofrem de hipertensão, diabetes ou apresentem colesterol alto. A meta da gestão é atingir uma meta de quatro mil pessoas beneficiadas até o fim desse primeiro semestre do ano.

A partir de agora, os moradores de diversos bairros poderão ser inseridos no programa, entre eles, Jardim Paulista, Sítio Fragoso, Maria Farinha, Maranguape, Arthur Lundgren. Para alcançar o quantitativo, a Secretaria de Saúde elevou de três para 20 o número de equipes que realizam o cadastramento do público-alvo. A expectativa do Governo local é atender a oito mil usuários do SUS até o final da gestão.

Agentes Comunitários de Saúde (ACS) e outros profissionais da rede municipal estão intensificando o cadastramento do público-alvo nas unidades básicas da rede municipal. Após a inscrição, o beneficiário precisa fazer uma consulta na rede local para que seja identificada a quantidade e quais medicamentos devem ser prescritos.

O procedimento de entrega dos remédios será feito através de motoboys identificados que vão levar um kit completo para o tratamento durante três meses. Para receber uma nova remessa, o paciente deve passar por uma nova consulta na rede local, criando o hábito do check-up periódico.

A metodologia do programa adotado no Paulista é um sucesso em outros estados como São Paulo e Minas Gerais. No município, o investimento para manter o funcionamento pleno do “Remédio em Casa” ficará na casa dos R$ 380 mil anuais, valor que sairá exclusivamente dos cofres da prefeitura.

Fonte: Prefeitura do Paulista