Evento acontece após anúncio de corte de juros dos financiamentos para habitação

No ano passado, o feirão da Caixa Econômica movimentou nos dias do evento um volume de R$ 502,7 milhões.
No ano passado, o feirão da Caixa Econômica movimentou nos dias do evento um volume de R$ 502,7 milhões.

O sonho de sair do aluguel parece estar mais próximo para os pernambucanos. Não bastasse o anúncio da redução dos juros para financiamentos habitacionais feito essa semana pela Caixa Econômica Federal, no próximo dia 4 de maio terá início o 8º Feirão da Casa Própria em Pernambuco. Com a possibilidade de parcelas menores, consequência do corte nas taxas, um maior número de pessoas poderá atingir a renda mínima exigida para a compra durante essa edição do evento, o que deverá gerar um número recorde de vendas. A expectativa do banco é que pelo menos um terço das 21,5 mil unidades à disposição na feira seja comercializado nos três dias da feira. Deste total disponível, 7,1 mil estão dentro do programa Minha Casa, Minha Vida.

“Desde a divulgação das novas taxas, o movimento nas agências triplicou. E o só corte começará a valer no dia de abertura do feirão, então teremos um incentivo a mais para o êxito nas vendas”, explica a gerente regional habitacional da Caixa, Eveline Ferreira. Ela acredita que a classe B e C serão as maiores beneficiadas com as mudanças no financiamento pois os cortes mais significativos ocorrerão nos imóveis entre R$ 150 mil e R$ 500 mil. Para quem for comprar alguma unidade dentro destes valores, a redução é de 10% para 9% ao ano, se o consumidor já for cliente do banco, a taxa pode chegar a 7,9% anuais.

O otimismo também atingiu Eduardo Feitosa, dono da imobiliária de mesmo nome, que levará cerca de três mil apartamentos e casas para o evento. “Antes da redução, minha expectativa era vender cerca de 1,2 mil unidades. Agora, acho que iremos negociar pelo menos 20% a mais”, revela. E ele exemplifica as mudanças geradas pelo corte nos juros explicando que se antes uma pessoa com salário de R$ 2 mil não conseguia comprar um imóvel pois não tinha condições de pagar uma parcela de R$ 600. Agora poderá encontrar parcelas de R$ 500 e conseguir encaixar as prestações em seu orçamento.
É o caso da advogada Lúcia Silva, que procura um imóvel para investir mas tem medo de comprometer muito seu orçamento. “Já fiz simulações e vi que as parcelas que me deixariam mais confortáveis precisam ser abaixo de R$ 400, mas quando encontro alguma coisa com esse valor, o prazo é muito longo. Quem sabe, agora, posso encontrar um imóvel que eu possa pagar em menos tempo”.

Saiba mais
Evento: 8º Feirão Caixa da Casa Própria
Data: Entre 4 e 6 de maio
Horários: 10h às 20h na sexta-feira e no sábado e das 10h às 18h no domingo
Local: Centro de Convenções, em Olinda
Imóveis disponíveis:
– Prontos ou na planta: 15.574
– Usados: 5.910
Funcionários da Caixa Econômica trabalhando no evento: 500
Valor mínimo das unidades: R$ 100 mil
Construtoras: 48
Imobiliárias: 44
Cartório: um cartório postal
Expectativa de vendas: 7 mil
Expectativa de público: 50 mil pessoas
Vendas realizadas no 7º feirão: 5.162 unidades
Volume de dinheiro movimentado no 7º feirão: R$ 507,2 milhões
Entrada: Gratuita

Fonte: Diario de Pernambuco (Assinante)